(21) 3129-1029      athenaginecologia@gmail.com    |   

A anatomia do sistema reprodutor feminino

As estruturas que compõem o sistema reprodutor feminino podem ser divididas em internas e externas. Os órgãos internos são: vagina, ovários, trompas de Falópio e útero. Já os externos são: monte de Vênus (monte púbico) e vulva (grandes e pequenos lábios + clitóris). Vamos saber mais sobre eles?

Vagina: é uma espécie de tubo fibromuscular envolvido por uma mucosa pregueada. É um órgão interno que faz um elo entre a vulva e o útero. Do ponto de vista reprodutivo, funciona como saída para o fluxo menstrual, como entrada para o pênis e como canal para o parto. Por isso possui grande elasticidade: seu diâmetro triplica de tamanho durante o sexo e pode chegar até 10 cm para facilitar a saída do bebê. 

Ovários: são pequenas estruturas ancoradas pelos tubos uterinos. Os ovários produzem os hormônios femininos (estrogênio e progesterona) e são responsáveis pelo desenvolvimento dos óvulos.

Trompas de Falópio: são tubas compostas por um canal em formato de funil, por uma ampola, um istmo e fímbrias que se assemelham a franjas nas extremidades. 

Útero: é um órgão oco, com paredes musculares espessas. Funciona como o caminho que os espermatozoides fazem até a tuba uterina, onde ocorre a fecundação. O útero é também o abrigo do feto enquanto ele se desenvolve. Faz uma interseção com as Trompas de Falópio e seu volume pode chegar a cinco litros. Logo acima dessa estrutura, encontra-se o colo do útero. 

Monte de Vênus: trata-se de uma elevação de tecido adiposo coberto por pelos que protegem a superfície ósseo-cartilaginosa.

Vulva (grandes e pequenos lábios + clitóris): Os grandes lábios são uma combinação de pele e tecido adiposo cobertos de pelos que fazem a proteção. Já os pequenos lábios são mais internos e não possuem gordura. O clitóris está localizado logo acima dos pequenos lábios e consiste em uma massa de tecido erétil com aproximadamente 9 cm de comprimento e 8 mil terminações nervosas. 

O aparelho genital feminino ainda é pouco conhecido pelas próprias mulheres. Ter conhecimento mínimos sobre o próprio corpo é essencial para se manter saudável e notar alterações que podem ser sinais de problemas graves. Conheça seu corpo e visite o ginecologista regularmente!

Fonte: Medical Site

21 de Novembro de 2019

Marina Peres Monteiro de Souza Barroso - Doctoralia.com.br